E-zine - Punk / Hardcore / Rock / Metal

Entrevista com Bill, do Noção de Nada

15 de julho de 2007 | Publicado por: Fabio Martiniano

Tags: , , , , , , ,

Confira uma entrevista exclusiva com G. Zander, vulgo Bill, vocalista do Noção de Nada! Banda que vem surpreendendo a cada álbum, com um hardcore cheio de misturas. Hardcore com mais cara de nacional do que o NDN é impossível! Por Thiago Montgomer (Thiagones)!

.: Banda

Noção de Nada

.: Integrantes

G. Zander (voz), M. Cunha (baixo), G. Menezes (guitarra), G. Arbex (guitarra) e R. Rito (bateria)

.: Localidade

Brasil / Rio de Janeiro

ndn2

Thiagones – Fala um pouco sobre como foi o início da banda.

BILL – Puts cara, o começo da banda foi assim, a gente montou a banda meio que sem saber tocar, aquela coisa de colégio:

– Ah Vamos fazer uma banda, eu toco batera, você toca não sei o que, e beleza.

Ai começamos a tocar, aprender, fazer um pouco de aula e tal, ai uma galera comprou mesmo os instrumentos, outra não, começamos a tocar uns covers, uma galera foi saindo, até que uma hora ficou o pessoal que tava afim, ai a gente botou o nome da banda, mas ainda não tinha nada, era cover só, isso ai foi em 1994, que é o registro do nosso 1° show e que era uma par de cover, tinha uma ou outra música que a gente tava começando a fazer.

E foi isso cara , depois a gente foi tocando, tocando, começamos a compor e a banda foi rolando.

Thiagones – Você já tocava batera e cantava ou só cantava, como que era?

BILL – Não cara, quando começou a banda eu tocava baixo e cantava e ficava só o batera.

Eu sempre fiz uns Backing Vocals, só que o que aconteceu, é que teve um determinado momento que eu comecei a compor as músicas sacou, fazer as letras, chegava com a parada pronta, idéia do vocal, e ai eu começava a cantar pra mostrar como que era a música:

– Ah é assim,

E acabou ficando:

– Ah canta você e tal, a música é tua canta ai.

Thiagones – Na 2° prensagem do CD “Manifestos Líricos” tem um “Bônus Track” lá uma colagem de várias músicas, é a 1° Demo do Noção essas músicas?

BILL – Na verdade não, a gente já tinha feito outras demos caseiras, nada sério, mas essa foi a 1° demo em que a gente começou mesmo a divulgar a banda:

– Pô, vamos mandar pra zine, vamos arrumar show, vamos mandar pra fora, daí a gente começou a sair do Rio pra tocar, começamos a aparecer em CDS coletâneas, e a partir dessa fita pintou a oportunidade da gente assinar contrato com a Barulho Records na época e lançar o “Manifestos Líricos”.

Ai na 2° Prensagem, foi até o Júlio da Barulho que teve essa idéia:

– Ah, vamos pegar aquela demo lá e colocar de bônus,

E a gente:

– Ah, vamos, legal.

Thiagones – Porque a mudança da bateria/vocal só pro vocal, e porque demorou tanto tempo hehehe?

BILL – Cara, foram várias coisas. Tava ficando difícil pra mim cantar e tocar, a gente tava querendo fazer umas músicas mais bacanas, mais trabalhadas, e ai puts, eu tinha a idéia, mas tinha que fazer uma coisa ou outra, e aí, ou prejudicava a batera ou prejudicava o resto.

Thiagones – Até no show que vocês abriram pro Boom Boom Kid em 2005, que foi a 1° vez que vi você só no vocal, comentei pra um amigo que o som tinha ficado bem melhor, bem mais “pegada”, porque querendo ou não, bateria exige muita, coordenação, e alguma coisa acaba não saindo com todo o potencial que poderia …

BILL – Lógico, e também o show é outra coisa, ficar na cara da galera, a galera se sente bem mais envolvida no show.

Thiagones – A meu ver, as letras desse último CD “Sem Gelo”, estão bem mais agressivas do que as dos álbuns anteriores. Por exemplo, o 1° verso do CD é um sonoro: Faça-me o Favor de ir se FODER… Queria saber o porquê das letras estarem mais cruas / agressivas?

BILL – Caras, acho que as letras são mais diretas, eu tava mais afim de provocar mesmo, de “empurrar” mesmo, tipo:

– E aí mermão, qualé?

Thiagones – Tipo, foi ouvir e já vem o primeiro impacto…

BILL – A intenção era meio que essa mesmo sacou. Eu não quero fazer um negócio que o cara fique parado ouvindo:

– A legal…

Quero que o cara se incomode:

– O que? , O que é que esse cara falou?

ndn1

Thiagones – Muita gente rotula, ou rotulava o NDN de EMO. Vocês se importam com essa definição e como vêem essa moda emo que até parece estar acabando apesar de algumas bandas como o Nx Zero ainda estarem bombando nas TVs e rádios ?

BILL – Cara, não me incomodo nem um pouco.

Quando a gente começou, nosso primeiro CD era bem emo mesmo. Emo assim, pelo o que eu acho que é né, na época era o que agente ouvia, era esse som mesmo que a gente queria fazer, e pô, super normal.

O negócio é que, o que nego classifica hoje em dia como Emo, acho que nem tem mais a ver. Acho que nem eu sei mais o que é ou não é. Mas mesmo assim eu não me importo não cara, “to nem aí”, a gente faz o som que a gente gosta, se quiserem dizer que é emo ou não, beleza.

Igual a gente tava falando, é “Sabbath” hehehe, o som é muito mais “sabatth” do que emo, sei lá o que pode ser considerado emo hoje em dia.

Thiagones – Quais bandas influenciaram E quais influenciam o NDN. E o que vocês tem ouvido de som / bandas novas?

BILL – Puts cara, que me influenciaram, Black Sabbath, Samiam, Nirvana, pô cara, Nirvana é uma banda que é unanimidade no noção, todo mundo gosta e é uma puta banda de atitude, vamos lá, Ramones com certeza, Guns And Roses pra caralho, foi a banda que me fez tocar, comprar uma batera e montar uma banda foi o Guns.

E várias outras bandas aí que a gente tem contato direto, Dead Fish, Mukeka De Rato, nossa, cara , uma porrada.

Thiagones – E as bandas novas hehe? Eu vi na guitarra lá do BAMBO adesivo do Strike Anywhere…

BILL – Pra falar a verdade eu nunca nem ouvi essa banda, nem sei qualé, mas ele curte…

Thiagones – Lembra um pouco 7Seconds pelo vocal…

BILL – 7 Seconds, a gente gosta desses hardcores antigos, 7 Seconds, Bad Brains, Minor Threat, Black Flag, Circle Jerks, cara, isso ai tudo a gente ouve pra caralho, e também uns bagulhos mais melódicos, Samiam, até Nofx, tipo, tudo assim.

Eu não gosto de estilos, eu gosto das bandas sabe qualé, todo estilo tem uma banda boa que eu acho legal.

E não só rock né cara, pra você ver, o batera que toca com a gente é um puta pianista, profissional, toca Mpb, Jazz, nunca deve ter ouvido hardcore , e toca com a gente sacou.

Então, acabam vindo outras coisas pro som.

Thiagones – É importante sempre somar coisas diferentes pra criar um som único né cara..

BILL – É, a gente tenta fazer o nosso som, exatamente.

Thiagones – O Rio sempre teve bandas bacanas, sendo mais específico, em relação à cena HC, e talz, citando algumas, Têm o Carbona, Teve o Rivets, Wacky Kids, até o Pólux, etc etc.

Como anda a cena pelo Rio, que parece ter meio que só sobrado Vocês e o Carbona. No CD anterior “Trilogia Suja De Copacabana” tem até a música “Copacabana” que fala dos bares de “Copa..” e talz, …

BILL – Putz cara, no Rio sempre foi bem esquisito. Lá nunca rolou mesmo uma cena assim, forte, onde as bandas tocavam e enchia.

Teve uma vez que tinha um “pico” que chamava Beco da Boêmia, que acabou meio que se tornando um point, tipo o Hangar assim. A galera ia, e enchia e foda-se a banda sabe. Tinha esse lado legal que tava sempre cheio, podia trazer as bandas de fora pra tocar, mas por outro lado também, era uma molecada que não tava muito interessada nas bandas, queria mais a balada e tal, então eu também nem considero muito como uma época forte.

Mas cara, as bandas tão sempre lá batalhando, indo pra fora, você falou ai do Carbona é uma banda que ta sempre correndo atrás, Autoramas, Confronto , pô, os caras tão ai fazendo sucesso mundial né velho, não só fora do Rio mas pô.

A gente também ta sempre lá fazendo show e saindo pra fora. E também tem bandas de outros estilos aí também, For Fun, MopTop, que já tão ficando conhecidas e fazem a correria.

Thiagones – Incluindo mais uma pergunta, que você tava comentando agora a pouco hehe. Vocês tão indo pra Europa?

BILL – É a gente ta indo agora em setembro.

ndn3

Thiagones – Que países vocês vão fazer?

BILL – Cara, ainda não sei muito bem, mas a gente ta indo pra fazer um mês na Alemanha, e no outro a gente deve ir pra Itália, França, Eslovênia, Croácia, Rep. Tcheca eu acho. Mas eu ainda não sei muito bem, a gente só vai sabendo tipo:

– Ó, tem show em tal lugar;

Ai a gente :

– A legal

BILL – Planos futuros, essa tour do Sem Gelo e o DVD que a gente ta fazendo. A gente ta filmando, e devemos filmar na Europa também pra colocar alguma coisa. A gente vai editar, lançar e depois, ai já não sei cara, ai a gente vai vendo hehehe



Comentários sem login do Facebook

Facebook

Twitter

Instagram

Instagram

Besouros.net 2002 - 2015 | Contato: besouros@besouros.net