E-zine - Punk / Hardcore / Rock / Metal

Entrevista com Cyro Sampaio do Menores Atos

30 de julho de 2018 | Publicado por: Fabio Martiniano

Tags:

Foto: Andreia Assis

O Menores Atos lançou seu novo álbum no mês passado, e o vocalista Cyro Sampaio bateu um papo comigo falando um pouco sobre este novo lançamento. O lançamento oficial do disco em São Paulo ocorre no próximo dia 04, na The House (antigo Hangar 110).

Por Guilherme Góes.

1 – Olá, Cyro! Como vai? Novamente, agradeço pelo tempo cedido para uma entrevista falando um pouco sobre o novo álbum do Menores Atos. Primeiramente, fale um pouco sobre o processo de gravação deste novo trabalho.
Cyro: Oi, tudo bem! Nós estávamos compondo essas músicas do Lapso durante algum tempo e dessa vez fizemos um processo bem planejado, desde a pré produção até a gravação. Trabalhamos com a dupla Gabriel Arbex e Gabriel Zander e gravamos no Estúdio Costella, em São Paulo.

2 – Quem é o responsável pela fotografia da capa do novo disco? E qual mensagem vocês tentaram passar com essa imagem?
Cyro: O trabalho gráfico é do Celso Lehnemann. A foto tem margem pra muitas interpretações e significados; era isso que a gente queria. Chegamos nessa idéia depois de muito tempo pensando sobre o nome do disco, os climas, as letras… e no final adoramos o resultado.

3 – As gravações deste novo trabalho ocorreram de maneira independente ou com apoio de alguma gravadora?
Cyro: Gravamos com o apoio do Flecha Discos, selo do qual fazemos parte ativamente, juntos com o Bil (Zander).

4 – “Lapso” é o nome do novo trabalho. Esse título pode significar diversas coisas, e ao mesmo tempo não significar nada. Você poderia explicar um pouco sobre este título?
Cyro: Dentre as várias aplicações da palavra “Lapso”, duas tem muito a ver com a história do disco: a nossa relação com o tempo e escolhas. A ideia veio do nosso amigo João Lemos (Molho Negro) e casou perfeitamente.

5 – Quais foram as principais influências do Menores Atos durante o processo de gravação deste novo material? Houve algo de novo (seja uma banda, um filme, um livro etc) que realmente causou algum impacto significativo durante o processo de criação deste novo trabalho?
Cyro: Difícil separar algo específico. A gente vai juntando tudo que ouve, lê e quando vê; aquilo já tem uma cara própria. Nós temos muitos gostos em comum em relação ao que a gente ouve e o nosso processo de composição é bastante abrangente e natural dentro do estúdio.

6 – Todas as letras deste álbum são extremamente pessoais. Cyro, você é o responsável pela composição dessas letras? Em caso afirmativo, o que mais te inspira durante o processo de composição?
Cyro: São bem pessoais sim e falam de sentimentos e angústias. O que inspira são as coisas que acontecem, que a gente vê e que acabam me/nos emocionando. Seja na nossa vida, na de nossos amigos, enfim…

7 – O novo álbum foi lançado no mês passado. Como os fãs estão reagindo as novas musicas nos shows?
Cyro: Está sendo ótimo tocar essas músicas. Todo mundo já está cantando e nem parecem que são músicas novas (hehe).

8 – O Menores Atos começou em 2002, mas a banda esteve em um relativo anonimato até o lançamento do disco “Animália”, em 2014. Desde então, o Menores atos se tornou um dos principais nomes da cena independente, tocando em diversos festivais ao redor do país. Como vocês tem reagido à tal exposição desde o lançamento daquele álbum?
Cyro: Tem sido ótimo poder tocar cada vez mais, em mais lugares e para cada vez mais pessoas. Foi isso que a gente sempre quis, então não tenho nada a reclamar.

Foto: Andreia Assis

9 – Além de festivais de Hardcore, o Menores Atos também costuma tocar em festivais alternativos, com bandas e artistas de diversos segmentos musicais. Como o público desses festivais reagem ao som de vocês?
Cyro: Somos incrivelmente bem recebido em todos os ambientes. Acho que o nosso som tem um pouco disso, de transitar entre públicos diferentes… então ficamos sempre bem à vontade. Isso é muito bom!

10 – Para alguns, o “Animália” é considerado um dos principais trabalhos independentes lançados nesta década. Este álbum saiu em 2014, e o “Lapso” foi lançado no primeiro semestre de 2018. Qual o principal motivo para um grande intervalo de tempo para um novo lançamento?
Cyro: O Menores Atos tocou muito durante esse período e também houve uma troca de integrante. Para lançar um disco novo, eu achei essencial dar uma parada com as demais atividades e se dedicar o mais exclusivamente possível. Fizemos um longo trabalho de produção e conseguimos parar tudo no início desse ano pra gravação. Nesse meio tempo, lançamos 3 músicas na coletânea Flecha Discos Vol. I (2017).

11 – Na sua opinião, como anda a cena independente no Rio de Janeiro? Você tem alguma recomendação interessante?
Cyro: Existem várias bandas e coletivos produzindo, ainda acho que de uma forma muito segmentada, o que dificulta uma interação maior. Só que tem gente fazendo, diante das dificuldades que todo mundo já sabe… tem bastante resistência. Aqui do Rio, eu adoro Def e Slvdr.

12 – Cyro, obrigado pelo espaço! Podemos esperar um show de lançamento oficial do novo disco em São Paulo? Nós estamos ansiosos para isso! Diga algo para nossos leitores, esse espaço é seu!
Cyro: Bem, eu demorei muito pra responder, desculpe! Mas no dia 4/8 teremos o show de lançamento em São Paulo e a gente pode adiantar que vai ser um show único, bem especial! A abertura ainda vai ser do E a terra não me pareceu tão distante, que é uma banda sensacional.



Comentários sem login do Facebook

Facebook

Twitter

Instagram

Instagram

Besouros.net 2002 - 2015 | Contato: besouros@besouros.net