Entrevistamos Fabio Prandini do Paura

paura

Com mais de 20 anos de estrada a banda Paura continua forte no cenário brasileiro de Hardcore. A banda que está prestes a embarcar para sua primeira turnê no Japão conta atualmente com a seguinte formação: Fabio Prandini (vocal), Rogério Rodontaro e Claudinei Ferreira (guitarras), Paulo Demutti (baixo) e João Limeira (bateria).

Confira a entrevista de Fernando Fantini com vocalista Fabio Prandini:

Salve PAURA, é uma honra ter vocês aqui no Besouros.net! E para começarmos contem a origem do nome da banda?
Valeu, Fantini! Satisfação é nossa! Besouros é referência faz tempo! A origem é italiana mas a palavra já foi incorporada à língua portuguesa. Refere-se ao medo levado ao extremo…

Quais as principais influências da banda?
Quando começamos era Strife, Abhinanda, Turmoil, Snapcase além dos papas da coisa toda: Sick Of It All, Bad Brains, Cro Mags, Sepultura e Slayer. Mas sempre estamos ligados nas coisas novas que estão rolando e isso sempre acabou influenciando de uma maneira ou outra.

paura 3

Como foram os shows com o Sick Of It All e o Bad Brains?
Tocamos com o Sick Of It All em duas turnês que eles fizeram aqui e sempre foi uma honra estar aprendendo com os mestres, além de serem amigos que fizemos durante nossa caminhada. O Bad Brains foi algo surreal. A banda é muito única. Uma verdadeira instituição musical. E descobrir que o Dr. Know e o Darryl Jenifer são muito gente boa também ajudou a elevar a admiração que sempre tivemos por eles. Não tive coragem de me aproximar do HR….hahahha

Como rolou a gravação do clipe da música “Gas Diplomacy”?
A gente teve a ideia de fazer algo simples, sobre a rua e tudo o que ela representa nesse momento político mundial. Saímos pra gravar na rua, em uma manhã cedo numa terça feira de carnaval e juntamos varias imagens de levantes populares que aconteceram no Brasil e na gringa. Quem fez toda a produção foi o pessoal da Tripa, que também produz o programa Meninos da Podrera.

A música “Scars Of Life” passa uma forte mensagem positiva e de superação: “Stand or fall”. Particularmente me ajuda muito dando uma animada no dia rs. Como são feitas as composições de vocês? Já ouviram que alguma música ajudou alguém a superar algum perrengue ou algo do tipo?
Que bom saber disso. O processo de composição sempre foi o mesmo. Alguém chega com ideias de riffs e vamos trabalhando a partir daquilo, com todos se envolvendo. depois de pronto o instrumental, eu componho as letras dentro do que eu sinto que aquele som pede liricamente.
Cara, felizmente já tivemos alguns relatos de pessoas que estavam em situações com risco de morte em hospitais e passaram os dias escutando Paura, e isso acabou ajudando essas pessoas de alguma maneira. Isso é extremamente gratificante. Num nível acima de música, ego ou julgamento. Isso renova muito nossa vontade de continuar fazendo o que amamos.

A banda começou em 1995, como vocês avaliam a trajetória do PAURA até os dias de hoje?
Uma dureza! hahahhaa. Difícil analisar sua própria trajetória. Com disse anteriormente, a gente ama o que faz, então é estar no lugar que escolhemos, fazendo o que queremos, independente de reconhecimento, dificuldades ou influências externas que são normais na vida de qualquer pessoa. Desse jeito, continuamos por mais quanto tempo conseguirmos. Desistir nunca foi uma opção.

paura 4

Quais os novos projetos e shows do PAURA?
Estamos terminando as gravações do disco novo e preparando algumas turnês de divulgação. Em junho temos nossa primeira turnê no Japão, e em outubro voltamos pela sétima vez pra Europa. Devem pintar mais coisas pra frente, mas por enquanto é o que temos já confirmado.

Muito obrigado! Deixem um recado para a galera que acompanha o Besouros.net.
Obrigado a quem leu a entrevista até aqui. Sigam apoiando as bandas nacionais, principalmente as bandas da sua cidade, do seu bairro, dos seus amigos. Isso que faz o cenário se fortalecer. Questionem tudo o que acharem estranho, principalmente na política. Precisamos ser mais efetivos em termos de mudança e isso se tornou urgente. Temos que ocupar, não somente as ruas, mas qualquer brecha que o sistema nos proporcionar. Como dizem: na política não existem vácuos, quando um espaço está vago, ele é rapidamente preenchido. Que sejamos nós, o povo, quem ocupa essas vagas. E cuidem uns dos outros. Vivemos tempos difíceis e devemos aprender a conviver com quem pensa diferente de nós. O que os governantes querem é que nos anulemos. Não existe força maior do que o poder do povo. Eles tem medo disso. Sejamos mais tolerantes uns com os outros e nos organizemos para poder nos defender e atacar onde devemos atacar. Parabéns à Besouros.net pelo ótimo trabalho de sempre! Nos vemos na rua e nos shows!

Vai comprar algo na Amazon? Ajude o site usando nosso link: Amazon.com
Obrigado :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *