E-zine - Punk / Hardcore / Rock / Metal

Entrevista com Overlife inc. – J. César

15 de outubro de 2003 | Publicado por: Fabio Martiniano

Tags: , , , ,

Entrevista com J. César, guitarrista da banda Overlife inc.!

Besouros: Para começar, porque o nome Overlife inc.? Algum motivo especial?
César: No começo da banda não tinha nenhum motivo especial, mesmo por que na época que a banda começou (1995) as bandas colocavam o nome que soava melhor… sei lá… é ridículo. Mas hoje ele tem um significado. Overlife simboliza algo além do que existe no mundo material, coisa do tipo, e nas letras isso é refletido. Nossos temas podem se resumir no nome da banda.

Besouros: Vocês já gravaram 4 demos, participaram de coletâneas e compilações, e gravaram o primeiro cd só depois de 8 anos que a banda se formou. Por que tanta demora?
César: Não sei. A gente teve algumas oportunidades, mas o fato de olhar e ver que muita gente errava em se precipitar queríamos criar algo que a gente ouvisse e gostasse de ouvir, não só pelo status de ter um cd. A gente vive lançando demos por ai, na hora que tiver um material fudido, juntamos em um estúdio legal, com um produtor bacana e trabalhamos pra resumir uma época. É o que vamos fazer no próximo cd que sai em breve por um selo brasileiro.

overlife_foto

Besouros: Qual foi o show que mais levantou a bola da banda?
César: Essa é difícil responder. Tiveram muitos. Apesar de achar o evento meio estagnado e repetitivo pro sempre tocar as mesmas bandas, a Feira Mix teve uma recepção legal do público quanto ao nosso som, mesmo por que em Guarulhos temos muitos amigos e tocamos lá desde o começo da banda. Outro foi o Millencolin em São Bernardo do Campo, a abertura de show que fizemos para os suecos.

Besouros: Quem faz as composições e acordes das músicas? O que sai primeiro, letras, ou o instrumental? O que querem passar com as letras?
César: As composições geralmente são feitas pelo Gonta, nosso vocalista, mas eu tenho algumas letras. A parte instrumental, sempre sai primeiro. Eu levo algumas bases prontas, o Lui leva outras, o Rodrigo trabalha o baixo dele em casa, e fazemos a música, quase sempre com acabamento e detalhes feitos pelo Gonta, que tem uma visão bastante ampla da parada por que sempre está olhando. As vezes demora meses pra encaixar uma letra, a gente ajusta ela até ficar do jeito que gostamos. Nas nossas letras queremos mostrar quem realmente somos, o que pensamos de cada um de vocês, é bem direcionada, algumas letras servem para certas pessoas, outras letras não servem. Abordamos temas sociais com fundamentos mais filosóficos do que políticos ou religiosos. Achamos que ninguém ou nenhuma banda é dona das “verdades” ditas por aí e que a música é um assunto sério e deve ser pensado em como afetará a cabeça das pessoas, principalmente jovens e crianças.

Besouros: Vocês fazem Hardcore, mas tem influência de metal, certo? Quais bandas de ambos os estilos inspiram vocês?
César: Muitas, não só metal. Eu gosto muito de Brujeria (mas não levo nada do que eles falam a sério), Gosto de Jorge ben, ouço bastante Pennywise, Face to face, Ten Foot Pole. O Gonta gosta de Pantera, Mr. Bungle, hardcore NY em geral e algumas coisas ligadas ao hip hop. Todo mundo tem um gosto variado… No geral a banda gosta entre as mais conhecidas H2O, Faith no More, Pennywise, Shelter, palhetadas meio Iron Maiden, Biohazard…por ai vai.

Besouros: Qual o primeiro lugar que tocaram?
César: Foi num Puteiro na Zona Sul de SP, quem quiser conferir a foto pode ir no nosso site www.overlifeinc.com

Besouros: Onde mais gostam de tocar?
César: Acho que Curitiba é um lugar bem legal, e o ABC paulista também nos deixa muito satisfeitos, igualmente a capital SP. Esses lugares parecem que respiram HARDCORE. Temos uma imensa vontade de tocar no nordeste.

Besouros: Vocês entrariam em uma grande gravadora? Quais as vantagens e desvantagens de ser independente?
César: Entraríamos, por que a diferença de uma grande gravadora pra um selo independente em grandes casos aqui no Brasil é apenas a proporção e o investimento. A gana pela grana é a mesma em muitos casos. Se deixassem a gente trabalhar, pagassem um produtor, um estúdio legal e uma boa divulgação, gostaríamos que todos pudessem compartilhar nosso trabalho. Mas é óbvio que essa não é a nossa intenção hoje em dia, queremos apenas tocar, e isso ainda bem ninguém pode impedir nem essa utopia, e essa é a vantagem de sermos independentes. E pra falar a verdade, a maioria das bandas pensa dessa forma, mas na hora H vai por outro caminho…pode ter certeza.

Besouros: Vocês fizeram o primeiro clipe da banda, da música “Distante Daqui”. Vale a pena investir em um clipe que será tão pouco divulgado pela televisão, podendo ser visto basicamente só na internet? Está sendo bastante visto?
César: Depende, acho que até vale, pois ajuda na divulgação do CD querendo ou não, principalmente em lugares onde não fizemos shows. Na internet tem bastante gente que baixa o clipe, ainda não é muito, mas de certa forma, dependendo do gasto vale a pena, por que tem retorno.

Besouros: A internet faz diferença para as bandas que não aparecem tanto nas mídias Rádio e TV? O que essencial para ser uma boa banda? O que é um boa banda pra vocês?
César: Eu acho que faz sim, por que na época em que eu comecei a tocar, por exemplo, eu não conhecia tanta banda com tanta gente legal por aí. Vendo por outro lado, tem banda que é apenas um site e mais nada, e outras que são apenas uma banda com site fudido e o som uma merda. Falta um pouco aquele pensamento: “o que eu estou passando para outras pessoas?”, e um pouco de auto-crítica. Basta ver que algumas bandas não se preocupam em gravar num estúdio legal, não estudam seus instrumentos, não fazem shows, isso é o que uma banda não deve fazer. Dinheiro é problema pra todo mundo, na nossa banda por exemplo, já teve nego que lavou tapete pra gravar uma demo, legalzinha, num estúdio bacana. Pra ver uma boa banda por aí, basta seguir o exemplos que temos muitos, Ação Direta a 12 anos na estrada, Dead Fish, Nitrominds, e até as mais novas, como Only Way de Curitiba, A-Ok e por aí vai. E não adianta o pessoal ficar botando defeitos no que os outros fazem… Um conselho – Ao invés de criticar, fique calado e faça melhor…

Besouros: Deixe um recado para quem conhece ou gostaria de conhecer a banda.
César: Um grande abraço pra todos os nossos amigos e muitas bandas do Brasil e aqueles que acompanham nosso trabalho desde sempre. Quem quiser conhecer um pouco da nossa proposta clique em www.overlifeinc.comwww.mp3.com/overlife com uma música inédita que sai no próximo cd.! Um abraço pra você Fábio do Besouros.net, e muita força pra tocar o site, assim como outros companheiros. As bandas precisão de vocês e muito!!! Venham conhecer São Caetano!! Valeu!!



2 comentários para “Entrevista com Overlife inc. – J. César”

  1. […] Entrevista com o guitarrista J. César em 2003, clique aqui. […]

  2. […] ao longo da existência do site, e que foi uma das primeiras a entrevistar-mos (Confira aqui ) e que participou da nossa festa de 2 anos em 2005 (Confira aqui). .: Leia tambémStreet Bulldogs, […]

Comentários sem login do Facebook

Facebook

Twitter

Instagram

Instagram

Besouros.net 2002 - 2015 | Contato: besouros@besouros.net