CJ Ramone no Hangar110

.:Bandas
Garotos e CJ Ramone

.: Local e data
Hangar110 – São Paulo/SP – 05/07/2013

.:Resenha
Samuel Malentacchi

.:Fotos
Danilo Romão Lopes

CJ_e_Garotos_2013_04

Em 2013 CJ (Ramone) passou novamente pelo Brasil com sua tour. Particularmente, o último show que havia visto dele foi em 2009, na ocasião no Club Outs. Já naquela noite tive a ligeira impressão que CJ era o melhor ex-Ramone em atividade. Hoje confirmei isso. No total foram 11 shows pelo Brasil, sua turnê mais longa e (aparentemente) mais produtiva.

GarotosA coisa toda já começou quente. A abertura da noite ficou com o polêmico Garotos, grupo que conta com 50% do Garotos Podres. Digo polêmico porque a lendária banda de (punk) rock brasileiro rachou -literalmente- tempos atrás. Antes dos primeiros acordes começarem havia certa desconfiança e até mesmo alguma hostilidade no ar. Ambas foram dissipadas assim que a banda entrou em ação. Como já ficou bem sabido, Mao e o guitarrista seguiram para novas bandas (e brigam na justiça pelo nome original da banda contra os outros integrantes). Pois bem, Sukata e Caverna seguem na luta, acompanhados de Denis Piui na guitarra e Gildo (ex-Pátria Armada) nos vocais. Aliás, Gildo representou muito bem a história da banda cantando com personalidade clássicos como “Anarquia oi!”, “Oi! Tudo Bem?”, por exemplo. Os caras tocaram dois sons e fizeram uma pausa. Expuseram seus pontos de vista sob e sobre toda a situação que passam. Recado dado. A (boa) música prevalece. Claramente os integrantes estavam apreensivos sobre como seria a apresentação. Foi do caralho. A banda segue com a alcunha de Garotos (Podres), assim bem subentendido mesmo.

CJ RamoneBem, a noite estava boa e pedia mais um ótimo show. Foi o que tivemos. Hangar 110, a casa underground mais legal do Brasil, lugar perfeito para um show empolgante, nostálgico, feito com vontade e à vontade. Clássicos ramônicos não faltaram, o ponto alto certamente foi a dedicação e interação entre público/banda nas músicas em que CJ cantava originalmente. Cabe destacar também as músicas do seu novo trabalho “Reconquista”, disco impecável para fãs e entusiastas do punk simples & bem executado, além é claro da energia que CJ dava e ainda dá ao cantar as músicas do mestre DeeDee, vide Endless Vacation, que arrancou arrepios na existência deste que escreve agora. Humildade, simpatia (empatia eu diria) e música feita para se escutar com a alma. CJ termina sua passagem por aqui se autorizando a ser um artista solo e sem sombra de dúvidas o ex-Ramone mais legal ainda vivo. Joey e DeeDee agradecem pelo legado estar em boas mãos (deixo Johnny fora da conta propositalmente e por razões pessoais de fã xiita que sou). Cabe destacar também a energia da banda que o acompanhava, claro, fica fácil tendo como companheiro de cordas o lendário Steve Soto, que toca no Adolescents e já tocou no Agent Orange. Uma experiência a parte ter assistido ao show próximo do Steve. Ao final dessa resenha segue uma foto do set list tocado, já que tive a honra de recebê-lo em mãos do próprio CJ. A vida realmente não é uma coisa muito boa, mas noites assim fazem muita coisa valer a pena. ¡Adios

Amigos!

.:Setlist

CJ Ramone

Vai comprar algo na Amazon? Ajude o site usando nosso link: Amazon.com
Obrigado :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *