Health e Guillemots em São Paulo

.:Bandas
Health / Guillemots

.:Local e data
Sesc Pompéia – São Paulo/SP – 13/10/2011

.:Texto e Fotos
Flávio Santiago

Dia chuvoso em São Paulo, mas nem isso foi suficiente para espantar o público que esgotou os ingressos para poder ver as bandas Health (EUA) e o Guillemots (UK), na choperia do Sesc Pompéia, era óbvio que a maioria das pessoas estavam ali para ver ao Guillemots, uma pelo fator sonoridade e por ser uma banda mais popular por aqui e a outra razão atendia pelo nome de Mc Lord Magrão guitarrista brasileiro que integra o grupo e tocaria pela primeira vez no Brasil após longos 10 anos fora.

Aos desavisados, ou apenas para aqueles que preferiram ficar nos arredores da choperia ou jogando conversa fora, perderam a chance de ver ao show do Health, banda com uma sonoridade completamente oposta ao grupo britânico, o grupo fez um show extremamente barulhento, experimental e convincente, deixando boquiaberto o público que não conhecia o som da banda, Benjamin Jared Miller, Jake Duzsik, John Famiglietti e Jupiter Keyes perderam alguns quilos e provavelmente ficaram desidratados de tanto suor, a banda promoveu em palco uma avalanche musical potente e caótica, a banda que possui dois trabalhos lançados “Health”, de 2007; e “Get Color”, de 2009 agradou e com certeza não sentiu o deslocamento aparente de públicos.

Com um show apoteótico de abertura, o público começa a se aproximar do palco para o show dos donos da noite, com o público ganho antes mesmo de subir ao palco a banda só teve que conduzir o show de maneira precisa e foi isso o que fizeram, a banda que é composta por: Fyfe Dangerfiedl, Mc Lord Magrão, Aristazabal Hawkes e Greig Stewart , iniciou o show com Kriss Kross”, que abre o segundo disco, “Red”, de 2008, logo após seguiram com“Made-Up Lovesong #43″, a nova “Vermillion” e “Trains To Brazil”, antes do mini-set acústico, só com violão de Fyfe, pra fazer muitos cantarem em coro e se emocionarem.

Confesso que a banda me agradou muito mais ao vivo do que na versão em estúdio, muito disso se deve as intervenções de Mc Lord Magrão que dão um pouco mais de peso ao vivo as canções e soam mais completas.

A banda através de seu líder Fyfe interagia bastante com o público, fazendo o com que o show mesmo nas horas mais calmas com sets acústicos se mantivesse em equilíbrio, a baixista Aristazabal arrancava suspiros dos marmanjos e cativava pela doçura, além de ser peça fundamental na banda, ora com seu baixo elétrico, ora com o contra baixo acústico dando aquele climão as canções.

Com o show próximo de seu desfecho Magrão fez um discurso óbvio sobre as condições de vida no Brasil, “nos viadutos dessa cidade”, pra anunciar “São Paulo”, uma das mais intensas e que valeu a noite, junto com o ato final,.seus mais de dez minutos foram de fato vigorosos, emocionantes e visivelmente gloriosos pro guitarrista, que colocou a vida difícil na ponta dos dedos, em cada nota tocada, lembrando os perrengues que deve ter passado na sua aventura rumo ao impiedoso do desconhecido no primeiro mundão.

Aí, veio o recesso merecido, pra volta ao bis, que previa “Walk The River”, preterida por “Yesterday Is Dead”, do mais recente e bom disco, “Walk The River”, de 2011. A escolha foi boa. A canção também bateu, ao vivo, os dez minutos, e foi tão intensa quanto “São Paulo”.

Fim de show, a chuva que castigava a cidade se dissipou e coroou os fãs que se aventuraram a ir ao Sesc para poder conferir a dois grandes shows que com certeza ficarão na memória por muito tempo.

Setlist – Guillemots:

01. Kriss Kross
02. Go Away
03. Made-Up Lovesong #43
04. Ice Room
05. If The World Ends
06. Vermillion
07. The Basket
08. Little Bear
09. Trains To Brazil
10. I Don’t Feel Amazing Now
11. I Must Be A Lover
12. São Paulo
BIS
13. Yesterday Is Dead

 

.:Galeria

Vai comprar algo na Amazon? Ajude o site usando nosso link: Amazon.com
Obrigado :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *