Iced Earth em São Paulo

.: Data
Dia 06/02 sábado

.: Local
Via Funchal – São Paulo-SP

Fala galera, sou o Guillermo, e estou escrevendo a minha primeira para o besouros.net!

Neste sábado fui cobrir nada mais nada menos que o show do Iced Earth no Via Funchal!

Para quem não conhece, Iced Earth é uma banda de Metal Melódico (a quem chame de Metal Melancólico pelo estilo de cantar de seu vocalista, Matthew Barlow) que iniciou-se em 1985 com o nome de “The Rose” e posteriormente, em 1988 passou a se chamar Iced Earth.

Primeira vez dos caras aqui no Brasil, e eles não fizeram feio, tocaram músicas de todas as fases da banda. Mas vamos ao que interessa: o show.

[singlepic id=940 w=320 h=240 float=center]

Com 15 minutos de atraso, pois o show estava previsto para as 22h e começou as 22h15, Barlow, Schaffer e os demais começaram arrepiando com “In Sacred Flames” , a primeira música do último albúm, “The Crucible of Man” . A galera ficou eufórica, mas confesso que não vi muitos cantando junto com Barlow, pois me pareceu que esse albúm ainda não foi absorvido pela galera, exceto um sujeito que estava do meu lado, tipo magro com cabelo encaracolado, parecido com o “Sideshow Bob’ do desenho “Simpsons”.

A segunda música foi “Behold the Wicked Child”, pensei: pronto, vão tocar o último albúm todo! Uma boa música e o Barlow arregaçando nos seus berros mas ainda sim a galera não estava animada como deveria. Mas isso iria mudar.

[singlepic id=938 w=320 h=240 float=center]

“Burning Times” veio para botar o Via Funchal abaixo. Rolou até umas rodinhas de bate cabeça. Barlow cantando com toda euforia e emoção, era perceptível isso!

“Declaration Day”, foi a 4 música e confesso que foi diferente escutá-la na voz de Barlow, pois ela foi gravada em estúdio originalmente por Tim “Ripper” Owens que por melhor vocalista que seja, não tem o carisma, a “alma” e a emoção que o Barlow tem.

Depois veio uma sequência de pauleiras das antigas como: “Violate”, “Pure Evil” e outras mais baladinhas como: “Dracula” e “Melancholy (Holy Martyr)”. Aí sim pude ver todos cantando em coro, como eu esperava.

[singlepic id=943 w=320 h=240 float=center]

Quebra-se a sequência das antigas com “Ten Thousand Strong” mas logo em seguida vem com “Stormrider”, música do segundo álbum de estúdio da banda. A galera foi a loucura ainda mais porque em seguida tocaram “The Hunter”.

O show seguiu com “Prophecy”, “ Birth of the Wicked” e “The Coming Curse”, antes do Encore.

Você que estava lá pode ter pensado: acabou? Se despediram tão repentinamente…

Eis que surgem após uns 10 minutos, toda a banda para encerrar com chave de ouro (clichê total da minha parte, eu sei) com “Dark Saga”, “A Question of Heaven”, “My Own Savior” e por último, do primeiro albúm, quase que uma auto-homenagem: “Iced Earth”.

Sim, se você contou até aqui foram 18 músicas! Um show incontestável. Muitos (inclusive eu) podem ter sentido falta de clássicos como “I Died For You”, “Damien”, “Dante’s Inferno”, “Blessed Are You” e tantas outras mas ainda sim ter visto esse show e esses caras tocando à 2 metros de distância, não tem preço. Maravilhoso pra quem foi, e quem não foi, lamente-se, foi inesquecível.

Para concluir, gostaria de agradecer o pessoal do Via Funchal, que me trataram super bem, ao Besouros.net pela oportunidade de escrever aqui e à todos que nesse momento estão encerrando essa leitura.

Confira agora fotos feitas por Eduardo Guimarães em parceria com o Territorio da Música e um vídeo de um pedaço da “Declaration Day”.

[nggallery id=34]

Vai comprar algo na Amazon? Ajude o site usando nosso link: Amazon.com
Obrigado :)

Um comentário em “Iced Earth em São Paulo

  1. Amigo^^ só te corrigindo… Iced é Power/Thrash Metal e não Metal Melodico^^
    e O SHOW FOI FODA DEMAIS… alem de ver o caras tocarem ainda fui no backstage ver os caras… eles são foda no palco e fora dele… Inesquecivel^^

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *