Resenha e fotos: Strung Out em São Paulo

strung-out-2017-14

.: Bandas
Gagged, Statues on Fire e Strung Out

.: Local e data
Vic Club – São Paulo/SP – 09/12/2017

Eis que depois de 10 anos a Strung Out estava de volta ao Brasil. Em pouco tempo duas bandas, Strung Out e Hot Water Music, que estariam no cancelado festival WROS de 2013 tocaram para os que tinham ficado a ver navios até hoje!

Chegando cedo, com a casa ainda bem vazia, a Gagged, banda de São Carlos subiu no palco. E foi uma pena que tocaram para pouca gente, pois o show dos caras surpreendeu! Com uma vibe de hardcore anos 2000 a banda fez os poucos que assistiam voltarem um pouco no tempo e curtir um som melódico diferente do feito hoje em dia.

gagged-2017-03

Na sequência os veteranos do Statues on Fire subiram para fazer um show impecável! Veteranos porque mesmo que a banda tenha somente dois álbuns, toda a bagagem dos caras faz com que esses discos, Phoenix e No Tomorrow, pareçam uma longa discografia, carregando o show de boas músicas! Essa foi minha primeira oportunidade de ver o novo guitarrista, Regis, que mandou muito bem. A abertura de peso caiu como uma luva!

statues-on-fire-2017-07

Eis que a espera acaba e depois de tanto tempo temos o Strung Out de volta a um palco paulistano. O último show por aqui foi em 2006, no Hangar 110.

Já com a casa cheia o show começa muito energético com “Everyday” e na sequência “Rebellion of the Snakes”. O público na frente do palco era pura empolgação, fazendo a vida do pobre “fotografo” aqui um inferno!

strung-out-2017-11

O baixista Chris Aiken era pura simpatia, indo de um lado do palco ao outro, e com certeza era o que mais interagia com o público. O guitarrista Rob Ramos fazia o trabalho árduo de suprir duas guitarras, já que Jake Kiley não pode vir. Também mostrava muita empolgação e foram os caras que fizeram a festa mais animada. Infelizmente o vocalista Jason Cruz não fazia muito mais que seu trabalho e inclusive teve atitudes bem controversas. Muitos subiram no palco e o vocalista começou a mostrar-se bem irritado com isso, chegando a chutar alguns dos fãs! Ele também se mostrou bem irritado ao ter um problema com a bateria e não levava nada com bom humor. Acho que para a maioria a atitude de Jason não estragou a experiência, mas para outros o show perdeu muito com isso. Pós show os comentários sobre suas atitudes eram maiores que os elogios.

strung-out-2017-13

Dando continuidade a banda navegou por toda sua discografia e deram muito espaço para os clássicos, como”Deville”, “Exhumation of Virginia Madison”, “Solitaire” e “Firecracker”. Ainda rolaram três covers, “Soulmate” do No Use For A Name, “Linoleum” do NOFX e “American Jesus” do Bad Religion, que fizeram o público cantar alto! No final fecharam com “Matchbook” sem direito a bis.

É uma pena ver um show de uma banda tão querida dividindo opiniões assim, mas as bandas não são feitas só de música, mas sim de atitude. Ainda assim para mim o saldo foi positivo, com boa música e bons amigos!

Confira a galeria:

Gagged

gagged-2017-07

gagged-2017-04

gagged-2017-06

gagged-2017-05

gagged-2017-02

gagged-2017-01

 

Statues on Fire

statues-on-fire-2017-10

statues-on-fire-2017-09

statues-on-fire-2017-08

statues-on-fire-2017-05

statues-on-fire-2017-06

statues-on-fire-2017-04

statues-on-fire-2017-03

statues-on-fire-2017-02

statues-on-fire-2017-01

 

Strung Out

strung-out-2017-20

strung-out-2017-19

strung-out-2017-17

strung-out-2017-16

strung-out-2017-15

strung-out-2017-18

strung-out-2017-12

strung-out-2017-10

strung-out-2017-09

strung-out-2017-08

strung-out-2017-07

strung-out-2017-05

strung-out-2017-06

strung-out-2017-04

strung-out-2017-03

strung-out-2017-02

strung-out-2017-01

Vai comprar algo na Amazon? Ajude o site usando nosso link: Amazon.com
Obrigado :)

4 comentários sobre “Resenha e fotos: Strung Out em São Paulo

  1. Acredito que a irritação era porque muitos queriam aparecer mais do que a banda.
    Subiam, tiravam selfies, meninas se oferecendo pro Jason e pro Rob. Algumas subiram umas 4, 5 vezes. Tem uma galerinha hoje em dia que não sabe curtir um show e se quer fazer mosh, que suba e pule apenas e entenda que em cima do palco quem tem q ficar é a banda e não o público.

  2. Eu estava com uma expectativa bem alta para este show mas a falta de uma das guitarras comprometeu bastante, a qualidade do som também deixou um pouco a desejar, guitarra e vocal com volume baixo… qualidade do som muito embolada… Tiveram musicas que gosto muito e que demorei a identificar qual era e em muitos momentos parecia um Strung Out cover.
    As atitudes do Jason, realmente foram lamentáveis mas concordo que parte do publico também não colaborou, muito fanfarrão tentando tirar selfie e atrapalhando o trabalho dos caras. Chris Aiken e o Rob Ramos deram show e salvaram a noite com muita presença, interação e simpatia. O show acabou do nada e foi um momento muito estranho, eu esperava ver o Strung Out desde 2002 quando não pude ir no Volkana, em 2006 também não pude ir, apesar de todos estes problemas fiquei muito feliz de finalmente ver os caras ao vivo, mas no final de tudo fica a sensação de que poderia ter sido muito melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *