Social Distortion em São Paulo

.: Data
Dia 17/04/2010 sábado

.:Bandas
All The Hats e Social Distortion

.: Local
Via Funchal – São Paulo-SP

Sábado esperado por tantos! Esperado talvez por 30 anos para os mais old schools! Pra mim a espera era menor, mas não menos intensa. 9 entre 10 fãs de punkrock tem o Social Distortion na sua lisitinha de melhores bandas, e iriam ver pela primeira vez os caras em terras brasileiras.

Chegando no Via Funchal cedo, um bom pessoal já estava entrando, entrei bem na hora da banda de abertura, os argentinos do All The Hats, que estava tendo a oportunidade de ver pela 3ª vez. Sempre gostei da banda, desde quando cantavam só em inglês, hoje em dia tem a maioria das músicas em castelhano. Como era óbvio que a maioria não conhecia a banda, os caras souberam fazer um show que agradasse. Tocaram as músicas mais animadas do repertório, abriram com “About Time” do primeiro cd, Tocaram “Soy Asi” do segundo álbum. Sempre tentavam falar com o pessoal, em castelhano mesmo, mas tava difícil de enteder, e o público ficava meio perdido pra responder. Tocaram também “Revolucion”, e o novo single “United we stand”. A banda conseguiu acompanhamento com palmas, e aplausos após cada música! Mas pra empolgar mesmo o pessoal eles mandaram “Time Bomb” do Rancid, que fez todo mundo dançar! Com certeza ficaram felizes com a recepção, espero que voltem sempre, é uma banda que acho bem legal! (Leia uma entrevista com Lucas, vocalista, em 2007)

Agora o mais esperado! Com a casa cheia, bandeira no palco mostrava “1979 – 2009” em referencia a comemoração dos 30 anos do Social Distortion. A banda toda entra já tocando, e Mike Ness por último, entre gritos. Som ótimo, levantava o pessoal, e em total respeito ao tempo para vir ao Brasil, a banda fez um show de clássicos, com trincas como “Bye Bye Baby”, “Bad Luck” e “Don’t Drag Me Down”.

Mike Ness estava sempre convidando alguém pra subir no palco e conversar, o pessoal tava meio sem ter o que falar, até o Charlão conhecido pelo CQCena da LBVidz foi chamado no palco. Acho que ele tava bem loco, não tava falando coisa com coisa, hahaha! E um garoto de 11 anos subiu também, Mike pediu pra ele falar Hello “bem fuerte”! Disse que ele era a nova escola, e nós a velha.

Mike mostrou simpatia durante todo o show, empolgação, ia nos cantos dos palcos fazer seus solos perto do público mais afastado. Pra animar ainda mais tocam clássicos como “Mommy’s Little Monster”, “Sick Boys”, “Ball & Chain” e “Sometimes I Do”.

Em certo momento Mike deu uma menosprezada no Rio de Janeiro, onde tinham feito show na noite anterior, falou: “Rio é legal, mas São Paulo é a cidade” seguido de risos da platéia!

Sem se despedir sairam do palco, e voltaram para o primeiro bis, com “Make Believe”, que arrepiou todo mundo! E em seguida “Cold Fellings”. Sairam novamente, mas claro, não ficou com cara de que acabou, voltaram com “Prison Bound” e o cover de um grande influenciador Johnny Cash com “Ring of Fire”.

Pra muitos faltou “Angel’s Wings” e “Story of my life”, claro que algo ia faltar algo, com o repertório tão grande dos caras! Pra mim “Story of my life” me enxeu o saco pelo Guitar Hero 3, que joguei muito! Mas mesmo assim, tenho certeza que todo mundo saiu satisfeito com o show, porque foi perfeito! Um show para botar na lista dos melhores da vida, e que me fez ficar mais fã da banda. Tô achando o DVD “Live in Orange County” uma bosta perto do que via nesse dia 17 de abril de 2010!

Confira as fotos pelo colaborador Guilherme Gustavo:

[galleria]

Vai comprar algo na Amazon? Ajude o site usando nosso link: Amazon.com
Obrigado :)

7 comentários sobre “Social Distortion em São Paulo

  1. eu chorei que nem uma criança…
    ja que nao podemos ver os Ramones, o show do Social fica com o posto de melhor show de nossas vidas…!!!!

  2. Mike Ness chamou ao palco um garoto de 11 anos de nome Luigi. Brindou a nova geração. Luigi é guitarrista e foi um momento unico em sua vida. Se alguem tiver o registro em foto de MIKE NESS E LUIGI no palco, favor enviar para o e-mail: [email protected]
    Quem sabe o fotografo Guilherme Gustavo tenha feito esta foto.
    Muito obrigado
    Paulo

  3. É fácil resenhar este fudido show. Vamu lá, negada ! One, two, three, four !

    “I FALL DOWN TO THE BURNING RING OF FIRE……………..”

  4. Li o comentário do Franco e fiquei pensando em como o tempo passa rápido – o Ramones virou uma miragem pra galera mais nova, um tipo de show que adorariam ter visto mas que rolou há muito tempo… Eu vi o Ramones em 1991, num lugar chamado Dama Xoc, com umas 400 pessoas. Alguns anos depois, vi a tour de despedida no Olympia com umas 5.000 pessoas (pra ver como os caras ficaram populares nesse intervalo de tempo!).

    O Social D eu tinha visto ao vivo 2 vezes nos EUA (no mesmo lugar onde foi gravado o DVD – House of Blues), mas o show de São Paulo foi melhor! E olha que na época ainda tinha o John Maurer no baixo. Mas parece que a banda está com mais gás agora! Showzaço!

  5. Poxa Eddy, realmente o que vc disse é a verdade, eu tenho 25 anos e a maior tristeza da minha vida como um fã apaixonado que sou é de nao ter visto nem um show sequer dos Ramones, sinto inveja, mas uma inveja boa, de que vc pode presenciar um verdadeiro show de rock ‘n’ roll.
    E sobre o do Social, as minhas palavras escritas acima ja dizem por si só heheheh

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *