Sublime with Rome em São Paulo

.:Bandas
Anjo dos Becos e Sublime with Rome

.:Data
13/05/2011

.:Local
Via Funchal, São Paulo / SP

Sexta-feira em São Paulo. O dia era nublado, mas o clima era era de praia. Sublime with Rome iria se apresentar pela segunda vez no Brasil em menos de um ano, ja que passaram pelo SWU 2010.

Para a abertura foi convocado o Anjo dos Becos, banda de Ska velha de guerra, comemorando seus 20 anos, e que caiu como uma luva. Obviamente, para eles não era mais um show, era a primeira vez na Via Funchal, então fizeram de tudo para ser especial. Uma faixa bem grande montava o fundo do palco, e dois paineis nas laterais eram grafitados durante o show.

A banda estava bem agitada, o vocalista corria de um lado pro outro do palco, e sempre conversava e interagia com o público. O show começou pontualmente as 21h, quando a casa ainda estava vazia em comparação a uma hora depois. Mas o público presente respondeu bem ao show, dançando e cantando quando o vocalista lançava algum grito a ser acompanhado. Destaque para o cover Plebe Rude “Até quando esperar” e “Na noite somos todos iguais” para fechar o show.

Sem muita demora o Sublime with Rome sobe ao palco com a casa lotada e ingressos esgotados. De cara tocam “Dont Push” e “Garden Groove” e já mostram a empolgação do público.

O vocalista Rome é o que trás a animação e simpatia a banda. Mostra-se empolgado cantando e tocando, ainda mais quando rola algum solo de guitarra. Já o baixista Eric Wilson parece cumprir só seu dever ali, não faz mais que andar um pouco pelo palco. Eric era o único membro original, já que o baterista Bud Gaugh tirou umas férias e estava sendo substituído por Matt Ochoa do The Dirty Heads.

O show agradava o público, mas eu particularmente que curto mais ska que reggae senti falta dos metais/instrumentos de sopros, já que a banda em trio não inclui nenhum instrumento a mais e algumas músicas ficaram bem mais cruas que originalmente. Exemplo da nova música “Panic” que ficou bem mais “simples” ao vivo. Outros pontos negativos foram a pausa entre cada música, que dava uma quebra de clima e talvez uma falta de entrosamento entre os integrantes. Rome parecia mais entrosado com o público que com a banda. Não que isso seja tão ruim, já que mostra que os fãs receberam o novo vocalista muito bem.

Os pontos altos foram os hits que obviamente iam rolar “Smoke Two Joints”, “What I Got”, “Wrong Way” e “Santeria” que fechou o show, e ainda dois covers Descendents “MyAge” e “S.T.P”.

No geral acho que o show agradou mais os maiores fãs. Há quem adorou, há quem achou razoável. Eu gostei de momentos, acho que a banda pode dar muito mais.

.: Galeria de fotos (clique para ampliar)

Vai comprar algo na Amazon? Ajude o site usando nosso link: Amazon.com
Obrigado :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *